Quantos Caios Mários vale um Batman?

Esta aqui aconteceu na tarde de 18 de julho de 2006, mas só agora tive tempo de vir digitar.

Saindo do Cinemark, aonde acabara de assistir a Superman Returns, eu andava por Botafogo. Passei pela Voluntários na altura do metrô. Ali há uma banca-sebo, onde um cartaz prontamente chamou minha atenção: “livros de Direito – R$ 1,00”. Always on the lookout por uma promoção, fui ver que livros eram esses. Havia vários volumes do Caio Mário, do Sílvio Rodrigues (são Autores respeitados de Direito civil, e os livros em questão fazem parte de coleções que são cursos inteiros da matéria), Mirabete e Damásio (esses dois são de Penal), todos em excelente estado embora pegando sol e poeira do lado de fora (colecionadores de livros sabem o mal que isso faz). Um Caio Mário novo está custando algo como R$ 73. Esses volumes de Civil eram pré-Código de 2002 e, portanto, desatualizados. Mas são livros que explicam o significado de vários termos e as definições e naturezas de vários institutos, de modo que continuam valendo apesar da alteração legislativa. Portanto, o preço era uma excelente pechincha.

Saí da banca com sete volumes e fui caminhando, debaixo de um sol inclemente, até o Rio Sul, onde almocei em excelente companhia e de onde fui embora de ônibus.

Agora, considere o seguinte. Gastei R$ 7,00 em sete volumes de valorizados Autores de Direito civil. Por apenas R$ 6,90, eu compro uma revista novinha do Batman, ou do Super-Homem, ou da Liga da Justiça, que é muito mais leve de se carregar e mais atualizada, também.

Portanto, uma revistinha do Batman vale sete volumes do Caio Mário.