Interrupção nos serviços do jornal

O jornal O Globo On de hoje, terça, 18/07, traz notícia de uma interrupção nos serviços do Metrô Rio.

Primeiro, diz que os trens que vinham de outros pontos, como PRAÇA XV, também foram afetados. Ora, não há estação do metrô na praça XV. Há, isto sim, na Praça Onze. Roga-se ao jornal que verifique se ao menos faz sentido o que diz. Correção é fundamental para a credibilidade.

Depois, diz que os passageiros que passaram mal foram atendidos no hospital Souza Aguiar. “Todos já foram liberados e passam bem, garantiu a concessionária.”

Que raio de jornalismo conformista é esse que simplesmente repete o que diz a parte mais interessada em mentir? Não estou dizendo que o Metrô mentiu, mas que o autodenominado jornalista não foi atrás dos fatos nem foi ouvir o outro lado. Limitou-se a reproduzir as declarações do Metrô, sem verificá-las. Foi para isso que estudou durante quatro anos? É esse o papel social do jornalista?

Alguns jornalistas gostam de divulgar a importância de sua atuação contra os abusos do Poder Público. Gostam de se arrogar em fiscais da sociedade. Quis custodies ipsos custodes? De onde vejo, quem escreveu a matéria está longe de honrar essa tradição.