As primeiras histórias do homem que avoa

Prosseguindo na realização da utopia, estou lendo Superman: crônicas: volume um, na mesma linha do então já comentado Batman: crônicas. São as quinze primeiras histórias do Super-homem, em ordem cronológica, todas de 1938-1939.

Ali se vê que Clarque Quente já usava cueca para fora da calça, embora não voasse (só saltasse bem alto e longe) e, às vezes, usasse disfarces para se passar por outrem.

A maioria das histórias não tinha nome quando originalmente lançadas. Uma delas é a de Action Comics #5 (outubro de 1938), que foi denominada “The Big Scoop” (“O Grande Furo de Reportagem”) ao ser reproduzida em Superman Archives vol. 1 e “Superman and the Dam” (“Super-homem e a represa”) neste Chronicles. Esta história mostra o kryptoniano desentortando uma ponte ferroviária para o trem não descarrilar e, em seguida, segurando uma barragem para que a inundação não atinja uma cidade próxima. Quando ele não consegue conter a fúria devastadora das águas, o carro de Lois Lane (que estava indo justamente cobrir esse evento) é atingido e submerso, e ela fica inconsciente dentro da bolha de ar. Nosso herói chega a tempo de resgatá-la até a superfície e desviar o curso da torrente, evitando danos maiores.

Você notou a semelhança? Com algumas adaptações, esses acontecimentos fazem parte do clímax de Superman: o filme, de 1978. As diferenças foram (1) que SH deitou sobre um intervalo nos trilhos da ponte para que o trem passasse por cima dele e não saísse da linha e (2) que o carro da mocinha foi colhido por uma fenda aberta por um terremoto, em vez de pela água. De resto é igual.