Refrão de hoje

Eu não agüento mais ouvir, mas ainda vou ter que ouvir muito. Repitam comigo.

“Prezado, Cliente [neste caso, a vírgula foi inevitável; parece que faz parte do discurso falado mesmo]:

“O M.R. destina carros especiais para às mulheres. Nos dias úteis, entre seis e nove horas da manhã, e entre cinco da tarde e oito da noite. [Desculpem, mas a crase e a pontuação são essas mesmas, por mais erradas que sejam. Quem escuta sabe.]

“Respeitar a lei, é uma questão, dE cIdadania. Carro das mulheres: respeito é bom, e elas merecem.”

Tem outra:

“Prezado, Cliente,

“Os bancos de cor laranja, são preferenciais, para idosos, gestantes, pessoas com crianças de colo e pessoas, com necessidades, Especiais. CEDA o lugar. M.R.: a qualidade de vida, ANDA, aqui.”

Omiti alguma coisa? Não sei, já ouvi tanto, acho que decorei. A parte mais difícil é reproduzir a pontuação, tão sutil e tão errada. Mas acho que consegui.

Anúncios

Horizontes

Quando eu era miúdo nos anos 70, havia um comercial da A Camélia Flores na televisão. A voz do locutor era acompanhada de uma peça musical em violão.

Anos depois, tornei-me apreciador e conhecedor da obra do Genesis. Um dos álbuns da banda é Foxtrot, de 1972, que traz uma faixa de 1 minuto e 21 chamada Horizons. Trata-se de um belíssimo solo de violão, composto e desempenhado pelo guitarrista Steve Hackett.

Alguns anos depois disso, não sei o que foi que me despertou a percepção de que a música no antigo comercial fosse justamente Horizons. Infelizmente, já não tenho como confirmar isso. Buscas no Google foram òbviamente infrutíferas.

Se alguém tiver conhecimento ou, pelo menos, a mesma impressão, por favor me comunique. Eu gostaria muito de ter definitiva certeza, mesmo que isso não tivesse nenhuma utilidade.

Má companhia

Hoje de manhã, a moça do telejornal leu uma notícia que começava mais ou menos do seguinte modo: “o diretor da companhia, Michael Hayden, informou ter dado ordem para destruir fitas de vídeo gravadas em 2002. O serviço secreto mais famoso do mundo havia gravado fitas sobre dois importantes suspeitos de terrorismo. A revelação foi feita aos funcionários da companhia nessa quinta-feira”.

Aí você pergunta: “companhia”? Qual companhia?

Montando o quebra-cabeça, você percebe que a moça mencionou o “serviço secreto mais famoso do mundo”, que é a CIA.

Outro dia, comentei o despreparo irresponsável de alguns autodenominados jornalistas brasileiros. Agora, soma-se a isso um resultado, digamos, inadequado na leitura de um reles teleprompter. Até que eu acharia engraçado e, no meu caso, a notícia não deixou de ser dada, mas observe que o objetivo não foi atingido. Tenho certeza de que muita gente não entendeu e, portanto, a notícia não foi dada.