Especialistas

Agora é assim: se cai um monomotor na Barra da Tijuca, automàticamente o delegado de polícia da Barra se torna especialista em combustíveis de aviação. Imediatamente, vemos outros especialistas discursando sobre o correto abastecimento de monomotores Cirrus com gasolina verde versus querosene. Vemos, também, especulações sobre os motivos que levaram o falecido proprietário da aeronave a concordar com um abastecimento feito com querosene. Ouvimos Fátima Bernardes pronunciar “QAV 1” como “QA – V1”, indicando sua intimidade com a matéria.

Vemos, ainda, moradores da Barra da Tijuca (que compraram seus apartamentos VINTE ANOS DEPOIS de o aeroporto estar funcionando) virem dizer na televisão que OS AVIÕES PASSAM MUITO BAIXO ALI, NAS IMEDIAÇÕES DO AEROPORTO. E a dita depoente, indefectìvelmente, previsìvelmente, termina seu discurso revoltada, perguntando, “…, ‘tendeu?”.

Então é assim: eu vejo a pista, eu compro uma casa bem alinhada com a reta da pista, e depois reclamo que os aviões passam muito baixo quando estão subindo e descendo. Certo? Òbviamente, vão culpar a ANAC, a Infraero e o Lula. Sim, porque já há quem fale em culpar o frentista (aeroporto tem frentista?). Já vi gente no saite dO Globo imputando o acidente até à BR Distribuidora, embora a nota fiscal de fornecimento mostrada na televisão seja de outra empresa.

Como disse minha irmã: tem sempre que terminar a frase dizendo “…, ‘tendeu?”.