Metodologia e comprometimento

Vamos fazer o seguinte: ficam proibidas as palavras “metodologia” e “comprometimento”. Até hoje, em TODAS as instâncias em que vi essas palavras, seriam igualmente cabíveis “método” e “compromisso”.

Vou além: “metodologia” seria o estudo do método, nunca o próprio método. Mas não vemos ninguém elaborar uma verdadeira metodologia; só o que vemos são métodos ou suas descrições. Toda vez que alguém vem me falar de uma “nova metodologia” ou perguntar “qual é a metodologia”, pode ver: é sempre de um método que estão falando.

A mesma coisa no caso de “comprometimento”. Analisemos: “meter” é um verbo que não se limita ao significado a que estamos habituados. Também significa “enviar”, mas por vias um tanto ocultas. A saber: “remeter” (“enviar novamente”, ou “enviar na direção de algo já visto anteriormente”), “prometer” (“enviar para adiante”, ou “não fazer agora mas deixar para um momento futuro”), “arremeter” (“enviar novamente para cima”, como fazem os pilotos ao desistirem de pousar), “submeter” (“enviar para debaixo”, ou “propor a alguém que estará por cima”). Etc.

Existem outras manifestações desse verbo, já não tão fàcilmente reconhecíveis, em outras classes gramaticais: “missão”, que significa “ato de enviar alguém para cumprir determinada tarefa”, “míssil”, que significa “objeto que se pode lançar/enviar”.

Na mesma linha, “comprometer” significa “prometer conjuntamente”. É quando duas pessoas prometem uma à outra, cada uma prometendo uma coisa. Diz-se que as duas partes se comprometem a alguma coisa. Então, o que fizeram é um compromisso. Quando você diz que já se comprometeu, isso implica que tanto você prometeu a alguém como esse alguém prometeu a você. Entende-se que o compromisso diminua um pouco a liberdade de quem prometeu.

Às vezes me deparo com a palavra “comprometimento”, significando dedicação: a pessoa mostra comprometimento com um emprego, com uma causa, com uma comunidade. Dela se espera isso porque haverá alguma espécie de recompensa: salário, honras, reconhecimento. Agora me diga: existe alguma ocasião em que se use essa palavra que NÃO admita “compromisso”?

Não. Portanto, rogo a você, Leitor, que pare já o uso desses neologismos odiosos. Um porque usado erradamente (“metodologia”), o outro porque supérfluo (“comprometimento”) diante de outra palavra que significa a mesma coisa mas que é muito mais elegante, pura, curta e antiga.

EOF